Bookaholic Lis » Blog Archive » RESENHA: Contato Visual

Wednesday, 10-11-2010 às 12:00 Por Lis Novo Conceito, resenha

CONTATO VISUAL
Autora: Cammie McGovern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 306
Nota:
Compre aqui

Sinopse: Enquanto as crianças simulavam batalhas no playground de Woodside Elementary School, dois alunos desaparecem, sendo vistos pela última vez atravessando o campo de futebol em direção ao bosque atrás da escola. As horas passam e então apenas um deles, Adam, um garoto de nove anos com autismo, é encontrado vivo; a única testemunha de um assassinato incompreensível. Verbal apenas nos melhores dias, Adam recua em seu mundo silencioso que Cara, sua mãe, conhece muito bem. Com a comunidade em choque e seu filho incapaz de ajudar na investigação policial, Cara tenta decifrar os enigmáticos acontecimentos.

Quando outra criança desaparece, a mãe de Adam percebe que só ela pode acabar com o silêncio do filho e interpretar as mudanças no comportamento de Adam não apenas para ajudá-lo a superar o trauma, mas também para ajudar a polícia a capturar o assassino. E, assim que ela se aproxima da verdade, seu passado inquietante começa a surgir das sombras. Em uma tentativa desesperada de proteger seu filho da vida real, ela teme que isso possa ter tornado o mundo dele um lugar mais perigoso.

Era para a resenha desse livro ter saído há um tempo já, mas o livro é denso demais para o pouco de páginas que ele contém e merecia uma resenha especial. Um livro profundo, tenso e imperdível, é assim que vejo Contato Visual.

A história é narrada em 3ª pessoa e vai contar um episódio marcante da vida de Adam, um menino autista de 9 anos, que um belo dia some da escola durante o intervalo junto com outra aluna, e ao voltar aparece sozinho. É possível imaginar o caos que irá se instalar com essa situação, pois o menino que vinha se desenvolvendo por todo aquele tempo, reaparece fechado em seu mundo, sofrendo interiormente e retrocedendo em todo aquele progresso que tinha adquirido com a ajuda de sua mãe, Cara.

Conhecemos o passado de Cara, que revela mistérios e problemas não resolvidos, além de tudo ter uma ligação direta com seu filho. É impossível não se comover com o esforço da mãe, mas, principalmente, com o do filho, que a todo o momento tenta mostrar aos outros que ele sabe de algo, mas, infelizmente, é complicado demais para ele se comunicar como os outros gostariam ou esperavam que ele fizesse.

Como já disse, o livro é bastante denso/profundo mesmo, é como um thriller policial que te prende a cada novo detalhe, a cada nova pista, e quando você acha que está desvendando todo o mistério, a próxima página conta algo novo que derruba toda a sua tese. Situações inesperadas acontecem inúmeras vezes; Cara vai descobrir que tentar se conectar com seu passado pode não ser a melhor escolha; personagens secundários vão aprender que todos no mundo têm problemas e as escolhas feitas para ajudar-se e ajudar ao próximo é feita por cada indivíduo, deve-se apenas aceitar.

Enfim, é uma história muito bem elaborada, com personagens desenvolvidos ao longo dela (nada se perde), assuntos relevantes como: a importância de saber conviver com pessoas diferentes; e algo que pra mim foi o mais tocante: crianças. Elas são os seres mais honestos e puros do mundo, e as crianças especiais do livro têm uma magia tão singular que é impossível não se deixar levar por elas.

A Cammie fez um ótimo trabalho, tanto na narrativa da história quanto na pesquisa sobre tratamentos utilizados para crianças com autismo e sobre o assunto em geral (talvez muita parte dessas informações deve-se ao fato de seu filho mais velho ser autista).

Só não dei nota máxima ao livro por um único detalhe: capítulos longos demais. Eu achei complicado acompanhar a leitura em determinados pontos, pois além de dividir em capítulos ela ainda divide internamente, ou seja, uma hora você tem a narração de algo do passado de Cara, depois volta ao presente, logo em seguida você está presenciando a cena vivida por Adam, isso tudo em um único capítulo. Mas de resto, é um ótimo livro, que eu recomendo a todos!





3 Comentários em “RESENHA: Contato Visual”

Nat Puga @ 10-11-2010 – 12:10

eu AMO thriller policiais, esse aí ´tá na minha listinha há um bom tempo, mas fazer o que hahaha já leu os do Harlan Coben?

:: JessiQuinha :: @ 10-11-2010 – 16:02

Humm, sabe que livro o Contato Visual me fez lembrar remotaaaamentee??? Sobre Meninos e Lobos!
Enfim, a história parece maravilhosa!! Por que é que esses “pirralhos” têm que se meter em bosques né??? Ai que coisa! Sempre que aparece bosque e névoa já sei que coisa boa não vai acontecer e alguém não vai voltar!
-.-’
Hehehe
Adoro livros assim, que derruba nossas investigações e suspeitas!! Filmes também: são melhores quando o suspeito e toda a verdade está logo no começo… nem dá graça e o suspense nem acontece!

Beijos!
xoxo

Jéssica Malta @ 10-11-2010 – 23:29

Concordo completamente com o que você disse a respeito dos capitulos serem longos. Eu detesto parar num meio de um capitulo, mas confesso que muitas vezes tive que fazer isso nesse livro.
Mas enfiiim… Adorei ‘Contato Visual’. De verdade! 🙂



Posted in Uncategorized